Armoribat 1

Entre os anos de 1940 e 1960 o Brasil desabrochou para a Era Industrial. A chegada e a popularização do cinema, rádio e TV iniciaram a massificação da arte produzida apenas nos centros urbanos, apesar da cultura popular continuar pulsante nos recônditos pobres, principalmente nas áreas rurais. Assim, algumas expressões artísticas sobreviveram marginalizadas no Nordeste do país como o mamulengo, o maracatu, o cavalo-marinho, o reisado e a literatura de cordel.

Com o objetivo de revitalizar essas tradições populares o escritor Ariano Suassuna arregimentou o trabalho de alguns artistas e promoveu uma re-leitura erudita delas. Estava criado o Movimento Armorial, lançado em outubro de 1970, no Pátio de São Pedro, centro do Recife.

Esta fonte dingbat foi desenvolvida a partir de um levantamento iconográfico focado nesse movimento, afim de preserva-lo e difundi-lo. Os traços de seus ícones remetem aos observados nas capas dos folhetos de cordel, inspiração para o Armorial.

A Tipos do aCASO promoveu essa realização durante o período de sua permanência como unidade de negócios da Fundição Design e Tecnologia. A exemplo do projeto Manguebats, – premiado levantamento iconográfico do Movimento Mangue Beat – o Armoribats trata de um movimento cultural tipicamente pernambucano com expressões em vários segmentos artísticos.

armoribat11.gif

One Response to “Armoribat 1”

  1. […] Leonardo “Buggy” Araújo and Gustavo Gusmão from Tipos do aCASO produced a Dingbat Font called “Armoribat”. From their website: […]

Leave a Reply